Ainda que o telhado represente uma das maiores superfícies em contacto permanente com o exterior,  a maioria de nós ignora o seu contributo na regulação térmica dos edifícios.
Contudo, é precisamente através do telhado que ocorre grande parte das perdas energéticas de uma habitação. As coberturas deficientes ou inadequadas implicam perdas de energia consideráveis, traduzindo-se por fugas de energia calorífica durante o inverno e, no sentido inverso, por ganhos de calor durante o verão, tendo como resultado, o comum desconforto térmico de grande parte das nossas habitações, assim como o consequente custo energético associado.

Principais pontos de perda energética numa habitação | Fonte: enerbuilding

A opção de renovar o telhado apresenta-se assim como uma medida importante de ecoeficência, ao reduzir as perdas energéticas da sua habitação contribui para a melhoria do conforto térmico e, simultaneamente para a redução da sua fatura energética. Conheça a solução de renovação UM-Renovar da Umbelino Monteiro.

Renovar a cobertura da sua habitação para a tornar mais eficiente é uma opção inteligente e ambientalmente responsável. Para além dos ganhos energéticos e económicos óbvios, a renovação do telhado permite ainda uma redução significativa na emissão de CO2 (dióxido de carbono) associada à produção de energia. E menos CO2 na atmosfera significa melhor ambiente.

A obtenção de um telhado eficiente decorre da combinação de vários fatores que vão desde a adequação da inclinação do telhado ao clima e região em causa, passando pela escolha de uma solução construtiva correta que combine os materiais certos com a aplicação adequada.

VENTILAÇÃO

Garantir que o telhado funcione como uma "caixa de ar ventilada" isto é, que respire, é o primeiro passo para uma renovação eficiente. Assim, deve optar por uma fixação mecânica das telhas à estrutura do telhado em detrimento da comum argamassa, que ao selar o telhado impede que este "ventile" retirando-lhe o benefício da regulação térmica, comprometendo também a resistência e durabilidade dos materiais.

UTILIZAÇÃO

A utilização de uma sub-telha adequada com as telhas cerâmicas é o segundo passo a cumprir para melhorar o equilíbrio térmico da habitação. Para além do apoio em termos de suporte da própria telha, as placas de sub-telha (fibrocimento) funcionam ainda como uma segunda cobertura, reforçando a estanquidade do telhado e, simultaneamente, gerando canais de ventilação que ampliam o efeito "caixa de ar", contribuindo para a estabilidade térmica do edifício.

COMPATIBILIDADE

Por último, e sendo o princípio base da boa construção de um telhado a fixação mecânica das telhas, torna-se fundamental assegurar a compatibilidade perfeita entre os seus diferentes componentes, nomeadamente: estrutura, placas de sub-telha e telhas. Por isso, garanta sempre que todos os elementos combinam entre si de modo a conseguir um telhado fiável, resistente, impermeável, duradouro e eficiente.

Resultado da pesquisa contínua e da procura permanente de soluções técnicas que promovam a melhoria da qualidade de vida e a redução do impacto ambiental, a solução UM-Renovar apresenta-se como uma solução fácil, completa e integrada para a renovação de telhados, sustentada na experiência obtida em mais de 50 anos de atividade que tornaram a Umbelino Monteiro líder no desenvolvimento de soluções para a renovação de telhados.

A solução UM-Renovar é o resultado do aperfeiçoamento contínuo dos nossos produtos e de uma especial preocupação no incremento da compatibilidade dos mesmos entre si, de modo a garantir que quando utilizados em conjunto, resultem numa solução construtiva durável, funcional e fiável.

A solução UM-Renovar resulta da combinação de três produtos com a assinatura Umbelino Monteiro: telhas cerâmicas e respetivos acessórios, placas de fibrocimento UM (sub-telha) e telhas solares fotovoltaicas Solesia.

A conjugação estruturada e a fiabilidade em termos de compatibilidade dos diferentes componentes da solução UM-Renovar, tornam-na na resposta completa e integrada para a renovação de telhados que, associada a uma construção adequada, constitui uma fonte de valor e bem-estar para qualquer habitação.

Telhas cerâmicas e respectivos acessórios UM

Produzidos através de uma criteriosa seleção de argilas e de um sofisticado processo produtivo, os nossos produtos apresentam-se nas gamas Advance Lusa, Advance Marseille, UM Canudo e UM Lusa que lhe oferecem rigor, resistência, garantia, rentabilidade e uma ampla escolha de cores, acabamentos e estilos, garantindo a solução perfeita em termos de renovação.

Placas de Fibrocimento UM (sub-telha)

Isentas de amianto e de qualquer outro contaminante, as placas de Fibrocimento UM são produzidas com materiais orgânicos recorrendo à tecnologia Etex e quando combinadas com as telhas cerâmicas UM potenciam o equilíbrio térmico da habitação, funcionando ainda como uma segunda cobertura capaz de reforçar a estanquidade e a estabilidade do telhado.

Solesia, as telhas solares fotovoltaicas que produzem energia

100% compatíveis com as telhas Advance, as telhas fotovoltaicas Solesia apresentam-se como uma solução esteticamente apurada para o aproveitamento da energia solar. Graças a uma integração perfeita dos painéis no telhado, o Sistema Solesia combina a produção de energia com a integridade estética dos edifícios.
Saiba mais em qualquer revendedor Umbelino Monteiro ou consulte-nos em www.umbelino.pt/solesia.

Necessita de apoio para o seu projeto?

Se necessita de mais informações ou de algum apoio técnico no seu projeto de renovação, preencha por favor o formulário que se segue, colocando todas as suas dúvidas e questões. Brevemente será contactado pela nossa equipa técnica. Se assim o desejar, poderá ainda no imediato conhecer todas as nossas soluções para coberturas e renovações, fazendo o download dos nossos catálogos. Bom trabalho.

Enviar

Se pretender, faça o download dos seguintes catálogos:

Sabia que pode reduzir consideravelmente a sua fatura energética por simplesmente desligar o standby dos seus eletrodomésticos? E que ao reduzir o consumo de energia está simultaneamente a poupar dinheiro e a poupar o ambiente? Visite alguns dos websites que recomendamos e conheça esta e outras formas de tornar a sua habitação numa habitação mais sustentável.

Qual é a Importância da Ventilação na cobertura?

Hoje em dia vivemos 90% da nossa vida dentro de edifícios. O nível de conforto exigido num edifício residencial ou de serviços nada tem a ver com aquele que era oferecido pela arquitectura vernácula, ou do século passado. Actualmente um edificio que se preze de ser confortável tem de o ser ao nível funcional, higrotérmico, visual, acústico e ainda de segurança respondendo aos mais diversos regulamentos e legislação pertinente.
A ventilação numa cobertura cumpre várias funções, tais como equilibrar a temperatura interior e exterior; reduzir a ocorrência de condensações; melhoria do conforto térmico natural; aumentar o período de vida útil dos materiais; melhoria das condições de salubridade dos espaços.

Objectivos Gerais de uma Cobertura Ventilada

A ventilação da cobertura é a efectiva circulação de ar na face inferior da telha, isto é, a entrada e saída de ar no espaço por baixo das telhas.Este movimento do ar baseia-se no princípio de tiragem térmica, em que o ar admitido numa zona mais baixa (beirado ou beiral), a uma temperatura inferior (temperatura do ar exterior), é aquecido por acção do calor perdido pela cobertura no Inverno ou pela radiação da telha no Verão, torna-se mais leve e sobe, saindo por uma zona mais alta (cumeeira);

Quais são os principais problemas da falta de ventilação de uma Cobertura?

A falta de ventilação na face inferior da telha está na origem de alguns dos mais sérios problemas que podem ocorrer numa cobertura. Existem várias situações em que a quantidade de vapor de água pode ser um problema. Estas questões não se colocam somente nos espaços de habitação e depende somente do tipo de uso determinado para cada espaço.

Em coberturas onde não seja assegurada uma correcta ventilação, a condensação pelo interior pode vir a ser um problema de falta de salubridade dos espaços.

A existência de condensação permanente leva ao desenvolvimento de micro organismos – fungos e outros problemas tais como;- Descasque das telhas por acção do gelo – degelo;
- Descasque das telhas pela proliferação do sal do mar (sais solúveis);
- Degradação da estrutura e materiais acessórios;
- Aparecimento prematuro de musgos e verdetes, envelhecimento precoce;
- Maior periodicidade nas acções de conservação e manutenção

Ventilação em Excesso

Também existem casos em que a forte ventilação é aparentemente desfavorável, nomeadamente no Inverno, do ponto de vista da economia de energia;
A poupança de energia por redução de perdas de calor pela cobertura é obtida, fundamentalmente, à custa da camada de isolamento térmico, colocado sobre a laje horizontal, caso não haja aproveitamento do desvão.

Quais os programas existentes de apoio à Reabilitação Urbana?

RECRIA - Regime Especial de Comparticipação na Recuperação de Imóveis Arrendados
RECRIPH - Regime Especial de Comparticipação e Financiamento na Recuperação de Prédios Urbanos em Regime de Propriedade Horizontal
REHABITA - Regime de Apoio à Recuperação Habitacional em Áreas Urbanas Antigas
SOLARH - Sistema de Solidariedade de Apoio à Recuperação de Habitação própria permanente

Quais são os benefícios fiscais para requalificação urbana?

Como estímulo às operações de requalificação urbana, incentivando os particulares a uma intervenção mais activa no processo e ao estabelecimento de parcerias com as entidades públicas, o Governo entendeu oportuno consagrar um conjunto de benefícios fiscais.
Nesse sentido, foram introduzidas alterações no Estatuto dos Benefícios Fiscais, que consagram um conjunto de incentivos à reabilitação urbana (art. 71º).
Como âmbito material geral
• Prédios arrendados com rendas antigas que sejam objecto de acções de reabilitação
• Prédios urbanos localizados em ARU (áreas de reabilitação urbana) que sejam objecto de acções de reabilitação
E como âmbito temporal
• Obras iniciadas após Janeiro de 2008 e concluídas até Dezembro de 2020
Quais os benefícios fiscais?
•IRS – dedução à colecta de 30% dos encargos suportados pelo proprietário relacionados com a reabilitação, até ao limite €500
•MAIS VALIAS – tributação à taxa reduzida de 5%, quando estas sejam inteiramente decorrentes da alienação de imóveis reabilitados em ARU
•RENDIMENTOS PREDIAIS – tributação à taxa reduzida 5% após a realização das obras de recuperação
•IMI – isenção por um período de 5 anos, o qual pode ser prorrogado por mais 5 anos
•IMT – isenção na 1ª transmissão de imóvel reabilitado em ARU, destinado exclusivamente a habitação própria e permanente.
A criação de áreas de reabilitação urbana (ARU) encontra-se prevista no Decreto-Lei nº 307/2009 de 23 de Outubro
Paralelamente foi também criado um conjunto de benefícios para Fundos de Investimento Imobiliário em reabilitação urbana:
• Isenção de IRC, desde que pelo menos 75% dos seus activos sejam imóveis sujeitos a acções de reabilitação em ARU
• Tributação das unidades de participação à taxa especial de 10%, em sede de IRS e IRC, nos termos previstos.
Consultar o art. 71 do Estatuto dos Benefícios Fiscais

De que se trata a iniciativa JESSICA?

Joint European Support for Sustainable Investment in City Areas
Esta iniciativa comunitária permite que os Estados Membros utilizem as verbas atribuídas no âmbito dos Fundos Estruturais, designadamente FEDER, para a criação de Fundos de Desenvolvimento Urbano (FDU), destinados a apoiar investimentos em projectos de Reabilitação Urbana e planos integrados de desenvolvimento urbano sustentável.
A parceria Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana e Caixa Geral de Depósitos irá investir em projectos de reabilitação urbana e em projectos associados à valorização territorial, através de: Um fundo de participações em projectos de reabilitação urbana; Linhas de crédito para particulares e entidades institucionais que promovam esses projectos.
Escolher a melhor orientação do telhado em função dos ventos dominantes e da exposição solar.

Planeamento da cobertura, aspectos a considerar na escolha da solução construtiva.

Geometria do telhado e Arquitectura da edificação
Meio envolvente e Localização edifício
Exposição do edifício aos elementos da natureza
Tecnologia utilizada e características técnicas dos produtos
Design da telha
Estanquidade
Oferta de cores e acabamentos
Garantia de qualidade e de continuidade
Acessórios disponíveis e Apoio técnico